Páginas

28/02/2015

Resenha - Quando Cai o Raio

Oi, gente. Tudo bem?

Quinta-feira antes do carnaval olhei para a minha estante a procura de um livro para ler durante o feriado. Como não tinha lido nada da Meg Cabot esse ano, acabei escolhendo o primeiro livro da série Desaparecidos. Para ler durante o carnaval.

Durante.

4 horas depois, tinha terminado de ler. Opa.

Quando Caio o Raio
Meg Cabot









Editora: Galera Record
ISBN: 9788501088178
Ano: 2011
Páginas: 272
Tradutora: Regiane Winarski


Sinopse:
Jessica Mastriani é uma adolescente quase comum. É briguenta, tem poucos amigos e uma família um tanto exótica. Por conta dos seus problemas de controlar a raiva, ela está em detenção até o fim do semestre. Ruth, sua melhor amiga que sempre a busca na detenção, resolve que elas deveriam voltar andando para casa. No caminho para casa, Jess acaba sendo atingida por um raio e ganha o dom de encontrar pessoas desaparecidas. Ela só não esperava que isso fosse trazer tantos problemas.

Meg Cabot é uma das minhas escritoras favoritas, então eu posso ser um pouco tendenciosa nessa resenha. Mas depois de ler uns vinte livros dela, e ter amado todos, é difícil não ser.

O livro, em forma de “declaração”, é narrado pela Jessica, ou “garota do raio”. Que é uma personagem ao estilo Suze Simon (A Mediadora – Meg Cabot). Durona, decidida e até um pouco muito agressiva. O que contrasta com sua paixão e talento pela flauta, um instrumento “delicado”.

Ela não era exatamente a pessoa mais popular da escola. Mas sempre tinha bons motivos para sair batendo nas pessoas e até mesmo para ficar em detenção por todo o semestre, ou quase. Defender o seu irmão mais velho e sua amiga que estava acima do peso eram dois desses motivos. Numa tentativa de perder peso e deixar de ouvir piadinhas, Ruth “obriga” Jess a voltar da detenção andando. Justamente no dia com uma tempestade terrível. Assim, Jess não teve só que dizer não ao convite de carona de Rob, um menino bonito que ela conheceu na detenção e que tinha uma moto, como acabou sendo atingida por um raio.

Nos EUA é comum colocar fotos de crianças perdidas nas caixas de leite. No dia seguinte a tempestade ela sabia onde estavam duas dessas crianças. Apesar de toda a boa vontade em ligar para o “dique-desaparecidos” isso só acarreta mais confusão para a vida da “menina tocada pelo dedo de Deus”.

“Olha só – comecei. – Não sei o que está acontecendo aqui. Mas se eu descobrir que você anda contando coisas sobre mim pelas minhas costas, vou encher você de porrada. Entendeu?” – Jessica Mastriani.
Página 106

 “Sim, claro, eu tinha sido tocada pelo dedo de Deus mesmo.
A pergunta era: qual dedo?”
Página 153

O livro é cheio de reviravoltas e referencias a filmes e músicas. Como é comum com tudo que a Meg escreve, dei altas gargalhadas com as confusões e piadas. É impossível não gostar dos personagens. São bem construídos, humanos e divertidíssimos. Parecem até membros da família depois de algumas páginas.

Como não é o foco do livro, o romance fica completamente em segundo (ou deveria dizer terceiro?) plano. O que não impede de suspirar e se apaixonar por Rob Wilkins. Sério, ele é tudo de bom. Além dele, vários outros personagens que não aparecem tanto ganham um lugar especial no coração. No meu caso esse personagem foi o Douglas, um dos irmãos da Jess. Não sei de onde a Meg tirou tanta “humanidade” para a construção dele.

O primeiro dos 5 livros da série é instigante e te deixa mais e mais curioso para ler os outros. Tão curioso que mal fechei o primeiro livro e já adquiri o segundo no Kindle (que eu também já li, então teremos resenha dele também, na verdade eu estou terminando o quarto livro, rs). 
O livro ganhou 5 estrelas.

Recomendo esse livro para todos! O livro é jovem adulto, mas independente da idade tenho certeza que vai agradar. É uma garantia de risadas, suspiros e torcidas organizadas. Se você ainda não leu nada escrito pela Meg, essa é uma ótima opção para começar.

É isso ai, galera. Deixem nos comentários o que acharam. Vou adorar ler opinião de vocês.

Beijoooos

26/02/2015

Penteados fofos!

Todas nós sabemos que nossos cabelos tem vida própria e, pelo menos o meu, só fica bonito em casa, haha. Então, decidi mostrar penteados super fáceis de fazer que podem adiantar nosso dia à dia. Quando a chapinha não da mais jeito, um penteado bem bonito pode disfarçar bem e você ainda vai ficar mega fofa!
Então vamos lá.

1) Escolhi esse penteado primeiro porque ele é mega fofo e eu amo laços!



2) Esse é para as meninas que vão pra um lugar que pede um penteado mais formal, mas não precisa ser só pra uma festa chique, pode ser só para evitar esse calor (insuportável) do Rio!
                                         
                                         

3) Ah, vamos ser sinceras, quem não acha que o cabelo de lado fica super fofo? E o mais legal é que, como os outros, esse também não demora mais que 2 minutinhos pra arrumá-lo.

                                 

4) E por ultimo o mais fofo, meigo e lindo. Esse, como vocês estão vendo, tem várias opções de penteados. Além disso o assessório é muito simples. Quem não tem uma fita em casa?

                                                  

Então é isso meninas, espero que isso ajude a agilizar a vida de vocês.
Beeeeijos!
Até mais.

24/02/2015

Meu carnaval (parte 2) - Amanda

Oi, gente. Tudo bem?

Estou de volta para terminar de contar sobre o meu carnaval, rs. Na verdade as aventuras do meu feriadão acabaram na quinta (19/02), já que os visitantes foram embora na sexta. Mas esses dois dias foram bem movimentados.

Dia 4 (quarta-feira de cinzas)



As praias mais bonitas da cidade ficam na zona sul. Não dá para viajar ao Rio e não ir até lá, rs. Na quarta-feira nós passamos o dia passeando pela orla. Nosso destino final foi a Pedra do Arpoador e, por consequência, a praia do Arpoador. Da pedra é possível ver pouco mais de 180º de mar. A vista é linda demais. Infelizmente o céu estava meio dublado então as fotos não ficaram tão bonitas. Já a praia estava um pouco cheia, mas o mar estava com a temperatura ótima e, apesar das ondas estarem relativamente grandes, dava para ficar na água por bastante tempo.

Dia 5 (quinta-feira)



Um dos programas que foram adiados graças ao mau tempo foi a visita ao Cristo Redentor. Mas, felizmente, na quinta foi possível realizar o passeio. Para chegar até o Corcovado você pode ir de meios próprios, de bondinho ou de van (que são oficiais do parque e vão até pontos específicos da cidade). Nós fomos de carro mesmo. O que fez com que demorássemos muito mais para chegar lá, já que a estrada mais rápida para o ponto turístico estava interditada e tivemos que fazer um caminho mais longo. Quando finalmente chegamos, demoramos bastante para arranjar estacionamento. Uma coisa é fato, os funcionários que cuidam do estacionamento (que é o lugar mais perto onde um carro pode chegar e antes era aberto a todos) dão preferencia à turistas de outros países. A maioria dos brasileiros que chegaram lá no período em que vi, tiveram que dar meia volta e estacionar o carro a uma distancia bem grande. Podemos dizer que esses funcionários também não eram lá um posso de simpatia. Por fim, subimos de van até o Cristo. A vista de lá é linda e dá para ver muita coisa legal da cidade (tipo o Maracanã e o Pão de açúcar). É bem difícil transitar por lá, já que está sempre muito cheio, mas vale a pena.
Saímos de lá e fomos dar uma passadinha em Copacabana. O mar estava absurdamente agitado, o que não é comum para a praia. Tão agitado que eu nem preciso dizer que teve alguém que se afogou. E olha que eu sei nadar, rs. Para terminar o passeio, passamos na Starbucks e voltamos para casa.


Relaxa, ainda sou carioca, haha. Só queria deixar uma foto pra representar a galera do sul (já estamos com saudades). Além do chimarrão que eles fizeram para a gente. O gosto é bem forte e amargo, mas até que é bom, rs.

É isso ai, gente. O carnaval já passou e o ano começa de verdade agora, haha. Deixem ai nos comentários o que acharam, vou adorar ler o que vocês têm a dizer. Esperem coisas bem legais por aqui nas próximas semanas, rs.
Beijoooos

22/02/2015

Meu Carnaval (parte 1) - Amanda

Oi, gente. Tudo bem?

Estive fora por alguns dias, graças ao carnaval, e resolvi fazer um post sobre isso. Meu carnaval foi bem movimentado e vou contar um pouquinho sobre ele para vocês.
A gente aqui em casa costuma receber uma família de amigos que mora no Rio Grande do Sul no carnaval, então nós acabamos passeando com eles pelo Rio de Janeiro. É uma das melhores partes das minhas férias, rs. Enfim, vamos lá.
Meu carnaval só começou de verdade no sábado a noite com a comemoração do aniversário da minha mãe e a chegada dos gaúchos (marco mor de inicio de carnaval), mas foi só no domingo que nós começamos a aproveitar o RJ.

Dia 1 (Domingo de carnaval)


Por conta da festa no dia anterior, acordamos tarde e só então fomos fazer alguma coisa. E a escolha foi o Bloco da Banda do Recreio, na zona oeste do Rio. O bloco em si não foi tão legal, não que eu tenha experiência com blocos, mas o fato de ele acontecer na estrada que beira a orla da praia foi uma coisa muito boa. Acabamos ficando um tempo na praia do Recreio, até a tempestade expulsar a gente.

Dia 2 (segunda-feira de carnaval)


Dia do Bloco do Sargento Pimenta. Antes de falar dos problemas desse dia, quero dizer que o Bloco é maravilhoso. Nesse post já tinha falado sobre eles e sobre o quanto eu queria ir até lá, mas não fazia ideia do quão bom eles são. Foi apaixonante, para dizer o mínimo. Infelizmente, graças a falta de pontualidade de alguns, acabamos saindo de casa atrasados. O que foi terrível, já que fomos de Campo Grande ao Aterro do Flamengo contando com o transporte público. O que significa: ônibus, trem e metro. Graças ao atraso, pegamos o trem lotado e o metro insuportavelmente cheio, a ponto de não conseguir entrar no vagão. A resolução para chegar no Aterro foi pegar dois metros, um para voltar até uma estação mais vazia e outra até lá. A volta foi ainda pior, já que o metro demorou séculos para passar, teve confusão para entrar na estação, o trem que vai até o meu bairro não estava mais passando (o que é uma falta de comprometimento terrível com a população, já que foi garantido que o trem funcionaria 24hrs por dia), etc. Para nossa sorte, conseguimos chegar a casa, depois de muito aperto, muita caminhada, uma parada improvisada para pegar outro ônibus e mais de quatro horas e meia. Nem todo mundo teve essa “sorte”, no dia seguinte ficamos sabendo que muita gente não conseguiu chegar a suas casas. Não dá pra contar com o transporte público no Rio.

Dia 3 (terça-feira de carnaval)

Fonte: Fotos da minha linda amiga Jade, que as cedeu já que minha bateria foi pro espaço. Obrigada :D 

Graças a aventura do dia anterior, todo mundo acordou tarde. O programa do dia foi ir para a praia do Grumari, zona oeste do Rio. A praia é linda e estava surpreendentemente boa para tomar banho no mar. Ela costuma ter águas muito geladas, coisa que não aconteceu. Aproveitamos bastante a praia, até outra tempestade mandar a gente de volta para casa. Ah, não posso deixar de mencionar o pastel ótimo que a gente comeu no restaurante Flor do Grumari. No fim, o dia acabou em pizza, haha.

Por enquanto é isso ai, gente. Vou dividir o post em dois para não ficar muito grande, rs.
Como foi o carnaval de vocês? Comentem ai embaixo, adoro ler a opinião de vocês.

Beijooooos

20/02/2015

Música - Boyce Avenue

Oi, gente. Tudo bem?

Estava dando uma olhada nos posts do blog e percebi que ainda não falei sobre música por aqui. Já está mais que na hora, né.
O assunto de hoje, na verdade, é uma banda em especial. Alejandro, Daniel e Fabian Manzano são os integrantes do Boyce Avenue, uma banda americana que começou, lá pra 2007, postando covers de músicas famosas no Youtube. Até ai é bem normal. Quantos cantores famosos hoje em dia não começaram com covers no Youtube? Além do talento incrível que eles têm, a parte legal é que eles já fazem bastante sucesso e continuam postando covers.
O canal do Boyce tem mais de seis milhões de inscritos e crescendo a cada dia. Lá é possível encontrar tanto músicas originais quanto os covers que trouxeram a fama para a banda. Não sei se é a voz maravilhosa do Alejandro ou o talento dos três em conjunto, mas nunca encontrei covers tão bons.
As músicas normalmente ganham uma roupagem nova e acústica, o que trás uma sensação mais intimista. A produção dos vídeos é impecável. É bem legal ver a evolução dos primeiros vídeos do canal para os atuais.
As escolhas são ecléticas, é possível encontrar tanto músicas atuais americanas quanto clássicos (como os vídeos que estão mais ali em baixo, Blame – Calvin Harris e Blackbird – The Beatles). Ah, tem até mesmo um cover de uma música mexicana no canal.
Muitas vezes acabo preferindo a versão deles as originais. Com exceção de algumas, é claro, haha.



No canal, é tudo separado e organizado por playlists. As principais são: Acoustic Covers; Cover Collaborations; Official Songs. A minha favorita é a Acoustic covers, que é onde eles postam todos os covers que eles fazem sozinhos. Já a Cover Collaborations são os vídeos com participação de outros artistas. Official Songs é onde estão as músicas da banda.
O vídeo aqui em baixo é da minha música favorita deles, Broken Angel.


Sou muito fã das músicas originais, mas os covers têm um gostinho especial. Quando eu gosto de uma música, fico torcendo e contando os minutos para ter uma versão do Boyce. Sou tão fascinada pelo canal deles que já devo ter ouvido a playlist com os covers completa mais de três vezes, haha.

É isso ai, galera. Espero que tenham gostado do post e da banda. Alguém ai já conhecia o trabalho deles? Deixem ai nos comentários o que acharam, vou adorar ler a opinião de vocês.

Beijooooooooooos

17/02/2015

Como amolar o alicate em casa!


Bem, todas nós sabemos que nem sempre da para fazer a unha no salão, as vezes queremos guardar um dinheiro, ou na correria do dia a dia não da tempo de marcar. E ficamos desesperadas pra ir naquela festa com a unha divando e quando vemos que nem o nosso alicate esta amolado, pensamos, ''O que fazer?''. Para resolver esse problema eu vi essa dica bombando e resolvi mostrar pra vocês. Salva qualquer um do desespero, é uma dica super bacana!
Ps: Só não reparem na minha mini mão gorda ;)
Vamos lá!

     
Vamos precisar de ''muuuuuitas'' coisas. Mentira, haha.
É bem simples, só precisa de uma folha de papel alumínio, aquela que sempre tem no armário da cozinha. Depois é só amassar bem até formar uma bolinha igual a da foto abaixo.



Quando amassar bem, é só da umas beliscadinhas com o seu alicate na bolinha. Você vai ver que vai soltar pedacinhos do papel alumínio, é assim mesmo. Em seguida teste ele, se precisar, dê mais algumas beliscadas até chegar no ponto que você gosta.



Então é isso meninas, espero que tenham gostado. Façam o teste, da certo. Comentem sobre ideias legais e baratinhas que podem facilitar nossa vida, vou adorar ler.
Beeeeeijos
Até mais

15/02/2015

Sete lugares para visitar no Rio de Janeiro

Oi, gente. Tudo bem?

Dá para acreditar que já é carnaval? O ano está passando em uma velocidade acelerada. Até demais, eu acho.
Como vou passar o carnaval turistando pelo minha própria cidade, esse post e todos os que eu postar essa semana, vão ter sido escritos há um tempo. O post de hoje é sobre o que eu devo estar fazendo agora, haha.
Separei sete lugares do Rio que são lindos e valem a pena visitar. Vamos conferir?

Parque Lage

Fonte: http://goo.gl/C3ltZQ ; http://goo.gl/mwQk14 ; http://goo.gl/5IZhDT

O Parque Lage foi um engenho de cana de açúcar na época do Brasil Colonial. As instalações do engenho estão bem conservadas e os jardins do parque são lindos. É bem comum ir ao Parque fazer piqueniques, mas cuidado com os macaquinhos, eles podem tentar pegar a sua comida, rs. O Parque também é a cede da EAV – Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Sempre têm exposições de arte por lá, além de alunos pintando pelos jardins. Para mais informações é só entrar no site.

CCBB

Fonte: http://goo.gl/xtEhF6 ; http://goo.gl/XoAqap ; http://goo.gl/LBbWYI

O Centro Cultural Banco do Brasil está localizado bem no centro do Rio de Janeiro, na Rua Primeiro de Março. Além de uma arquitetura maravilhosa, sedia exposições de arte, mostras de teatro e tem uma livraria linda. Para quem quiser saber o que está rolando por lá, é só conferir aqui.

Pista Cláudio Coutinho

Fonte: http://goo.gl/QphIiC ; http://goo.gl/AobFqP ; http://goo.gl/4MuAc9

As margens do Morro da Urca, a pista tem 2 quilômetros de extensão e algumas das vistas mais bonitas da cidade.Vale muito a pena ir e entrar em contato com a natureza.

Real Gabinete Português de Literatura

Fonte: http://goo.gl/q9cGEI ; http://goo.gl/LkHM9F ; http://goo.gl/o3aitP

A construção de 1880, que virou uma biblioteca pública em 1900, é absurdamente bonita. Com lustres e estantes de tirar o fôlego, o gabinete só funciona durante a semana e trás diversas atrações culturais aberta a todos. Quem quiser saber sobre as atrações, clique aqui.

MAR


Fonte: http://goo.gl/r6CDUW ; http://goo.gl/Vj4C8r ; http://goo.gl/uNrJ19

O MAR (que não é na praia, e sim um museu, haha) fica na zona portuária do Rio. Lá no Museu de Arte do Rio se encontra a vista panorâmica mais bonita de todos os museus da cidade. São cinco andares de exposições para apreciar sem pressa. A programação pode ser conferida aqui.

Vista chinesa


Fonte: http://goo.gl/jHYDtu ; http://goo.gl/Tt81eN ; http://goo.gl/rzejyx 

Localizado no bairro Alto da Boa vista, o mirante em estilo chinês é um dos mais importantes da cidade. A paisagem é de tirar o fôlego, da para ver a Lagoa Rodrigo de Freitas, o Cristo Redentor e até mesmo a praia ao fundo. Sou completamente apaixonada por esse mirante e sempre que vou ao Cristo, dou uma passadinha lá.

Quinta da boa vista


Fonte: http://goo.gl/ZHVSnY ; http://goo.gl/LjjVXP ; http://goo.gl/gl1Vb7

A Quinta da Boa Vista é um parque municipal que fica no bairro de São Cristóvão. Possui grande valor histórico pois o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista na verdade era a residência da família imperial brasileira. Hoje, o parque abriga o Jardim Zoológico do Rio, o Museu Nacional da Quinta e jardins lindos. Quem quiser saber mais sobre as exposições do Museu, só dar uma passadinha no site.

E vocês, já foram a algum desses lugares? Deixem ai nos comentários o que acharam, fiquem a vontade para acrescentar os lugares que vocês conhecem por aqui.
Aproveitem bastante o carnaval!

Beijooooos

13/02/2015

Look Up

Oi, gente. Tudo bem?

Hoje em dia é difícil encontrar alguém que não tenha celular, ou melhor, é difícil encontrar alguém que consiga ir para algum lugar sem o aparelhinho. Nos sentimos seguros com a possibilidade de ter o mundo na palma da mão e poder contatar as pessoas que gostamos. Isso para dizer o mínimo.
O celular, o computador, a tecnologia em geral, facilitou muito a vida de todos. Então quem pararia para pensar no quanto elas nos afetam de maneira negativa?
O vídeo ‘Look Up’ (Olhe para cima, numa tradução livre) mostra exatamente isso. Não vou me alongar, já que ele fala por si próprio.



É isso ai, galera. O que acharam do vídeo? Deixem ai em baixo nos comentários, adoro ler a opinião de vocês.
Bom carnaval :D :D

Beijooooos

11/02/2015

Bloco do Sargento Pimenta

Oi, gente. Tudo bem?

Aqui no Rio o carnaval está em todos os lugares, literalmente. Parece que a cidade ganha outra cara e não tem quem não participe da folia. Eu, infelizmente, nunca fui muito fã de carnaval. Até descobrir que estava me divertindo do jeito errado, haha.
Esse ano vou vencer o medo de blocos de rua e vou participar, pela primeira vez, de um que estou muito empolgada para ir. O Bloco do Sargento Pimenta mistura o ritmo das marchinhas de carnaval com as músicas dos Beatles.
O nome surgiu a partir do álbum (e da música) Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Banda do Clube dos Corações Solitários do Sargento Pimenta, em tradução livre) que foi o oitavo álbum da banda.
Desde 2011 o Bloco acontece e já até ganhou um premio de votação popular no jornal O Globo como melhor bloco de rua do ano. Além das músicas com arranjos carnavalescos, o Bloco vira um espetáculo com os figurinos e a arte nas apresentações.


Aqui no Rio o Bloco vai rolar no dia 16/02, segunda-feira de carnaval, no Aterro do Flamengo. Espera-se que mais de 120 mil pessoas compareçam ao evento. É fácil ver o porquê de eles atraírem tantos foliões.
O legal é que eles não vão se apresentar só por aqui não. Também vão passar por São Paulo, Minas Gerais, Brasília e Ceará.

Foto de divulgação com os dias e lugares.

O Bloco do Sargento Pimenta é uma opção para aqueles que gostam da diversão dos blocos de rua, mas não são atraídos pelas marchinhas e músicas tradicionais. E um pouco de Beatles nunca faz mal a ninguém, haha. Quem quiser mais informações, pode entrar no site do grupo aqui ou na página deles no facebook.
Depois do carnaval eu volto para dizer o que achei do Bloco, haha. Alguém ai se interessou em ir? Avisem nos comentários, adoraria encontrar com vocês por lá.
Beijoooooos

09/02/2015

Inspiração - Murais

Oi, gente. Tudo bem?

Hoje vim compartilhar com vocês algumas fotos que me inspiraram um bocado para arrumar o meu quadro de lembranças/inspiração/avisos/fotos.
Muitas coisas deixam um ambiente mais aconchegante e familiar, mas quase nada pode ser tão expressivo quanto um quadro. Um mural que pode ter tanto fotos pessoais quanto mensagens de motivação e inspiração. Tudo depende de você e da finalidade do mural.

Esse é o mural da Melina do blog Serendipity.
Fonte: http://goo.gl/heTwPl

 Eu tenho um desses no meu quarto, que fiz tem bastante tempo seguindo as instruções desse post da Capricho. Sempre que possível tento deixá-lo de acordo com a minha personalidade, apesar disso ele não está do jeito que eu quero. Graças ao Pinterest, inspiração para deixá-lo cada vez mais bonito não falta.
Vamos ter ideias juntas?

Sobriedade pode deixar o quadro muito charmoso e organizado. Apostar em tons pasteis, preto e branco é uma boa pedida.


Quem gosta de coisas mais delicadas, como eu, se dá bem nessas horas. O fundo encapado e, outra vez, as cores claras é que dão o tom do mural. A delicadeza também vem da forma em que as coisas são dispostas no quadro.

O fundo de cortiça a mostra também fica muito legal, desse modo o destaque e a "cara" do quadro fica todo nas cores e coisas que vão estar nele.

Que vontade de correr para enfeitar o meu, rs. Também ficaram com vontade? Quem quiser mandar foto de como é o seu mural, vou gostar bastante.Deixem ai nos comentários o que acharam, vou adorar ler a opinião de vocês.
Beijooooooos



07/02/2015

Coisas legais que provavelmente não estão na realidade de um adolescente normal



Estava pensando em postar sobre lugares legais e coisas que queremos fazer que são muito divertidas e sempre vemos em filmes, mas percebi que provavelmente não faremos por sermos adolescentes comuns, haha.
Então vamos lá.


  Passeio de balão.


                   
Descer de canoa numa cachoeira.
                       
 


Escalar




Patinar no gelo




Surfar

 

É isso gente, alguns lugares, se fizermos um esforço, podemos sim conseguir ir, nos divertir e será uma ótima experiência. Se vocês tem ideias legais, mas que também nunca fizeram ou acham que nunca vão fazer comentem, eu adoraria saber!
Até mais.

05/02/2015

Um mês de blog

E ai, galera. Tudo bem?

Hoje nós viemos aqui por um único motivo: FELIZ UM MÊS DE BLOG!!!

Fonte: http://goo.gl/2ESSif

Passou mega rápido e nós já estamos aqui comemorando um mês.
Queríamos agradecer a todos vocês por tudo, por cada comentário, cada seguidor, cada like no facebook. Vocês são incríveis e são nossa motivação para continuar postando e querendo sempre melhorar.
Por fim, uma foto pra ilustrar a nossa felicidade.

Amanda e Gabi

Que venham muitos outros meses!
Obrigada, galera.
Beijos

Amanda e Gabi

03/02/2015

Curso de fotografia online

Oi, gente. Tudo bem?

Vim aqui falar sobre um sonho que eu tenho que é fazer curso de fotografia. Infelizmente fazer um presencial é inviável já que eu estudo até aos sábados, rs. Vocês podem imaginar a minha felicidade quando fiquei sabendo que a universidade de Harvard disponibilizou um curso gratuito na internet. Isso ai, completamente de graça. Com direito a certificado e tudo mais ao final.


O curso dura de 10 a 15 horas e fala sobre os principais temas da fotografia digital, como lentes e o processamento de fotos em softwares. Quem terminar o curso com 80% ou mais de aprovação em cada avaliação, pode solicitar o certificado.
Como nem tudo é perfeito, as vídeo aulas são completamente em inglês e acredito que as avaliações também. Então, corra para um curso de inglês agora! Haha.
Para começar só precisa entrar na página da Alison, que é onde o curso está disponibilizado e acessar a página do curso em si. A página é bem organizada, da para achar tranquilamente os módulos e como “utilizar”.
Para quem quiser mais informações, o site da Catraca Livre postou por lá sobre o curso. Vale a pena conferir.
Vou começar o curso essa semana e depois aviso se gostar mesmo. Alguém ai se animou para fazer? Deixem ai nos comentários o que acharam.

Beijoooos

01/02/2015

Projeto Slap Her

Oi, gente. Tudo bem?

Um tempinho atrás eu assisti a um vídeo que achei uma gracinha e quis compartilhar com vocês. Um jornalista italiano, Luca Lavarone, teve a ideia de questionar meninos entre 6 e 11 anos de idade sobre violência contra a mulher. Após algumas perguntas sobre os próprios entrevistados, o jornalista (narrador) apresenta uma menina a eles. A reação de cada um dos meninos ao serem pedidos para bater nela é tocante.


O projeto em vídeo “Slap her” (Bata Nela, em tradução livre) foi a forma que o jornalista encontrou para mostrar ao mundo que ainda há esperanças para combater a violência contra a mulher. A ONU divulgou quem uma a cada três mulheres já sofreu violência física ou sexual. Se pararmos para fazer a conta esse número é exorbitante.
Por mais que eu seja a favor de ensinar as crianças que não se deve bater em uma mulher não por sermos um sexo frágil, mas por sermos seres humanos que merecem tanto respeito e direitos quanto os homens recebem, a iniciativa do vídeo chamou a minha atenção. A resposta que mais me prendeu foi a de um menino que respondeu que não bateria na garota, pois ele não gostava de violência, foi contundente e igualitário. Porém, saber que as crianças não se deixam levar pela onda de abuso que as mulheres sofrem já é uma vitória.
Em contra partida, um estudonorte-americano, desenvolvido pela universidade de Dakota do Norte, entrevistou estudantes e concluiu que um terço dos jovens (pouco mais de trinta por cento dos entrevistados) estupraria uma mulher se não houvesse nenhuma consequência. Bastante destoante das crianças, não? A questão é descobrir onde as opiniões passam por uma mudança desse nível. Acredito que ninguém tenha o direito de tratar um outro ser humano como um objeto sem vontades. Esse tema gera bastante polemica, mas precisa ser explorado e a conscientização tem que ser feita. 

“Eduquem as crianças e não será necessário castigas os homens” – Pitágoras.

Quanto a vocês, o que acharam do vídeo? Deixem ai nos comentários que vou gostar muito de saber a opinião de vocês. Até a próxima, gente.
Beijoooos